A secretária municipal de Planejamento e presidente interina do NatalPrev, Adamires França, foi sabatinada pelos vereadores em plenário. Entre outras coisas, ela falou que a proposta da prefeitura é utilizar o repasse de R$ 204 milhões, que serão sacados mensalmente até fevereiro de 2018. O governo garante a devolução do dinheiro ao fundo em 180 meses, após uma carência de dois anos, com vencimento no dia da disponibilização pelo governo federal do Fundo de Participação do Município (FPM).

A vereadora Natália Bonavides sustentou as denúncias sobre a existência de um rombo no NatalPrev. “A prefeitura pode não gostar da expressão, mas é isso o que acontece quando a administração deixa de pagar o que devia e os recursos não estão lá. Então, a prefeitura não pode continuar tentando maquiar a verdade ao afirmar que não há dívida. Ora, as planilhas que eles mesmos apresentaram constituem uma confissão de débito”, criticou a parlamentar oposicionista.

Segundo as planilhas analisadas, o rombo na previdência municipal chega a R$ 80 milhões e foi feito sem autorização da câmara municipal.

De acordo com a vice-líder da bancada governista, vereadora Nina Souza (PEN), as maiores cidades do país amargam queda expressiva na arrecadação de impostos. “Por isso a dificuldade de fechar a folha de pagamento. Como disse a secretária, este projeto garante que todos recebam seus salários ainda dentro do mês, sem prejuízo algum para o fundo previdenciário municipal”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA