As redes sociais sempre foram ‘território livre’ para divulgação de posições politicas e críticas a figuras detentoras de cargos públicos. Mas isso sempre acontecia sem sabermos ao certo a exata autoria. Não foi o que ocorreu após a votação da segunda denuncia contra o presidente Michel Temer no congresso. O diretório estadual do PT no Rio Grande do Norte produziu uma publicação com foto dos parlamentares potiguares que votaram para ‘salvar’ o mandato de Temer. O folder eletrônico traz ainda uma mensagem em tom de ameaça aos parlamentares; “Em 2018, não vamos esquecer”, lembrando que ano que vem será de disputa eleitoral para os parlamentares.

O presidente do diretório estadual do PT, Júnior Souto assumiu a autoria da publicação. Ele considerou indecente e vergonhosa a atitude dos parlamentares potiguares. “Esse congresso é sem ética e sem moral”, atacou Souto.

Dos 8 deputados federais potiguares a maioria, 5 votaram com o presidente Temer. Foram eles: Rogério Marinho (PSDB), Felipe Maia (DEM), Walter Alves (PMDB), Fábio Farias (PSD) e Beto Rosado (PP).

O blog conversou por telefone com o deputado Felipe Maia que criticou atitude do diretório petista. “O PT tem um projeto de poder e está preocupado com as eleições de 2018 e por isso ataca dessa forma. Esse panfleto representa bem o PT. Meu voto foi pela continuidade da estabilidade política e econômica, assim como pela volta dos empregos. O nosso país não suportaria a queda de mais um presidente em tão pouco tempo”, esclareceu Felipe.

Através da sua assessoria de imprensa, o deputado Rogério Marinho também criticou a publicação. “O PT nunca me esquecerá. Vou continuar empenhado para que o país volte a crescer após a destruição causada ao Brasil pelo PT nos últimos governos de Lula e Dilma”, finalizou Marinho.

O deputado Fábio Fárias comunicou através da assessoria que não iria comentar o assunto, já os parlamentares Walter Alves e Beto Rosado foram contactados, mas não retornaram.

Nós também conversamos com o deputado estadual Fernando Mineiro para comentar a publicação feita pela partido dele. Ele atribuiu a responsabilidade ao diretório estadual e criticou o voto dos parlamentares potiguares que segundo Mineiro foram comprados. “Temer  “comprou” apoio dos deputados de forma vergonhosa para se manter no poder. O custo da operação passa em muito a casa dos bilhões, usados para garantir privilégios de setores econômicos. Um descaramento numa visto na história do país. O sociedade precisa reagir a esse verdadeiro saque”, concluiu o deputado.

DEIXE UMA RESPOSTA