Organizações e movimentos evangélicos e centenas de pessoas vinculadas a igrejas deste segmento cristão assinam o manifesto “O governante sem discernimento aumenta as opressões – Um clamor de fé pelo Brasil”.

De solidariedade com famílias dos mais de 16 mil mortos por coronavírus e com os profissionais de saúde ao reconhecimento a universidades e a centros de pesquisa, os manifestantes evangélicos e evangélicas repudiam e se indignam com o comportamento antiético do presidente da República que “dá provas que não está à altura do cargo que ocupa”. A gestão é classificada no documento como inadequada que atenta contra a vida humana.

Os evangélicos e evangélicas que assinam o manifesto cobram respostas mais eficientes dos governos e reafirmam que igrejas devem ser responsáveis e não promoverem cultos públicos presenciais, abrindo seus espaços para ações de solidariedade.

Com base nestas afirmações o manifesto conclui com proposta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para que assuma seu papel constitucional e proceda à cassação da chapa Bolsonaro-Mourão, marcada pela disseminação de mentiras que embasaram a campanha eleitoral em 2018. A justificativa para o pedido é que “a preservação de vidas e da democracia exigem ação imediata”.

Fonte: Revista Carta Capital (adaptado)

DEIXE UMA RESPOSTA