Já são mais de 1.000 toneladas de resíduos de óleo retiradas de 233 localidades no litoral nordestino em 9 estados segundo o IBAMA. Boa parte disso foi coletada por voluntários, muitos deles se colocando em risco ao não utilizar equipamentos individuais de proteção (EPIs), ficando expostos a substâncias perigosas que podem trazer riscos à saúde humana. Além de alergia, este petróleo cru pode entrar na corrente sanguínea e, segundo especialistas, trazer danos ainda mais graves, como o câncer.

O Ministério da Saúde distribuiu um informe e disse que vai monitorar as pessoas que tiveram contato com óleo. O documento trás uma lista de recomendações.

Recomendações à população

  • Não entrar em contato direto com a substância, especialmente crianças e gestantes; – Evitarcontato com a água e solo nas regiões atingidas;
  • Seguir as orientações da vigilância sanitária para consumo de peixes e frutos do mar nas regiões afetadas;
  • Seguir orientações dos órgãos de meio ambiente sobre atividades recreacionais e de pesca nas regiões afetadas;
  • Em caso de exposição e aparecimento de sintomas, contatar o Centro de Informações Toxicológicas (0800 722 6001) e procurar atendimento médico.

DEIXE UMA RESPOSTA