Há cerca de vinte dias, o Rio Grande do Norte, encontra-se desabastecido de alguns medicamentos que compõem o coquetel usado pelos portadores do vírus da HIV, assim como, os portadores da Hepatite C, que por sua vez, é ainda mais preocupante, já estão aguardando a pouco mais de 1 ano.

“Os medicamentos que estão em falta, são de grande importância para o tratamento da doença, assim, vem preocupando a classe médica do Rio Grande do Norte, pois os medicamentos Zidovudina (AZT), Efravidenz (EFZ) e Raltegravir (RAL) são imprescindíveis para um tratamento eficaz. A falta dessas substâncias pode acarretar na interrupção do tratamento em pacientes infectados e isso pode gerar complicações gravíssimas.”, alertou Vivaldo Costa, deputado estadual em pronunciamento na Assembleia Legislativa..

No Rio Grande do Norte, o coquetel é oferecido em treze unidades espalhadas pelo estado. A SESAP informa que entre os anos de 2014 e 2017, foi presenciado um aumento no número de casos de HIV, passando de 582 para 834. Somente no ano de 2019 já se contabiliza 237 novos casos registrados.

DEIXE UMA RESPOSTA