Graças ao Juiz de Execuções Penais, Dr Henrique Baltazar que denunciou a situação, agora 550 presos do RN com tornozeleiras eletrônicas sabem que não estão sendo monitorados.

Claro que ele fez o seu papel em denunciar o problema. Mas será que precisava publicizar? Mal comparando, parece com desastrosa operação “Carne Fraca” da PF que investigou menos de 5% dos frigoríficos e condenou toda a carne brasileira trazendo prejuízos para a exportação do produto e ao país.

Será que o juiz não poderia antes conversar com secretario de justiça e cidadania ou com o próprio governador para pagar ou negociar a dívida antes de avisar a esses presos que eles estão “livres”?

Pior que tal irresponsabilidade encontra eco na assembleia legislativa do estado com deputados que estão mais preocupados em fazer oposição do que com a população e as consequências dessa publicidade. O deputado Kelps Lima que não perde tempo já foi denunciar a situação na tribuna da ALRN e a impressa segue o fluxo reverberando a desgraça de todos nós. 

Não quero com minha reflexão isentar a responsabilidade do governo pelo não pagamento. Muito pelo contrário. Nada disso aconteceria se o governo tivesse pago a dívida com a empresa que faz o monitoramento das tornozeleiras eletrônicas. Mas eu pergunto quem vai se responsabilizar se um desses 550 presos tirar a tornozeleira? Fugir? Cometer um crime? Assaltar ou matar alguém? Porque agora eles sabem que não estão sendo monitorados. 

DEIXE UMA RESPOSTA